420.

Costumava balbuciar toda e qualquer sílaba desconexa que lhe ocorria, simplesmente pelo prazer de emitir os sons que acreditava sem significados, não se dava conta de que mesmo desconhecendo, falava em uma língua que por acaso o outro dominava, e tendo este compreendido, acabou encantado pelo seu discurso involuntário.

~ por Sérgio G. Alves em 30/06/2011.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: