454.

Desembaraçava o fio com destreza, até ter encontrado aquele nó mal dado e não saber se o melhor seria reatá-lo, continuando com o mesmo novelo, ou desmanchá-lo e começar um outro novo.

About these ads

~ por Sérgio G. Alves em 29/08/2011.

2 Respostas to “454.”

  1. Para desespero dos gatos e infelicidade das velhas bordadeiras, o fio é uma linha curva que só tem começo. É como o tempo. Há nós que não se desatam e pontas que são ao mesmo tempo o princípio e o fim da trama.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: